26 de agosto de 2014

Desgarrado


Arranquei minhas asas
atirei-as ao vento,
desisti de voar.

Elas continuam por aí,
soltas pelo ar...
Desbravando o mundo
a procura do meu eu.

Que desgarrou de mim,
preferiu continuar sozinho,
mesmo que fosse, sem asas.

                                DiegoFerreira

28 de julho de 2014

28 de Julho


A chuva cessou,
lá fora agora,
escuto o gotejar
das bicas e telhados.

Alguns passos distantes,
vozes quase sussurrantes
e um silêncio entoante.

Sob os olhos do silêncio,
as ruas se calam,
sou papel e caneta,
refém do sossêgo.

                       Diego Ferreira

22 de abril de 2014

Transe


Silenciei minha alma,
ouvia as notas de Chopin,
tons que confundem,
num estranho prazer.

Lembrava do mar,
dos momentos que sorri,
dos que chorei,
de tudo que vivi.

Foi embreagante!
Não como alcool
mas...
como o doce e o amargo.

Fui além de mim,
meu universo paralelo,
onde o meu querer
é simples e singelo.

                        Diego Ferreira